domingo, 30 de outubro de 2011

Megapost: Porque usar o LINUX

Artwork, Chip Taylor

              Muita gente me pergunta por que eu uso o Linux. A resposta seria simples, se os argumentos fossem somente técnicos. Primeiro tem o fato de não pegar vírus, eu já perdi muitos trabalhos, textos e fotos com essa porcaria. É free, o fato de ser grátis ajuda também, rsrsrsrs. Todos podem alterar, distribuir o programa, que conta com atualização também gratuita, grande vantagem sobre seu concorrente da Microsoft que quando lança uma nova versão todos tem que pagar para obtê-la. Só esse motivos já seriam o suficiente para eu ralar e aprender a usar o Linux, o que ocorreu a cerca de 6 anos atrás (com grande incentivo do meu "brother" da faculdade de física Fabrício e da minha amiga do trabalho Giovana). Contudo, existe outro motivo, muito mais forte e profundo para eu usar esse sistema operacional, a filosofia que está por trás do Linux. 
                 No mundo atual, em que só tem valor o que é pago, quanto mais caro melhor a qualidade, vemos uma sociedade que atinge, cada vez mais, um nível de decrepitude inacreditável, com corrupção e violência sem par, onde o dinheiro, o lucro e a ganância determinam o vencedor, aquele que serve de exemplo para a sociedade. A contraposição a esse modo de vida era o socialismo, que não conseguiu se manter nos governos de diversas sociedades, caiu por vários motivos, incompetência, corrupção e ganância, parecendo até a sociedade que ele se contrapunha, só que fatores históricos e sociais ajudaram a minar essas sociedades antes da ideologia oposta, o capitalismo. Contudo, com a globalização, estamos presenciando o início de um processo que estabelece um nova forma de pensar de ver o mundo, o compartilhamento. Alguns podem dizer que não é novidade, que o socialismo ideal já afirmava isso ou que o próprio cristianismo também apregoava dividir, mas, na verdade, não só essas ideologias, como outras que surgiram, são vinculadas a um poder dominante que acaba assumindo o lucro e a ganância como forma de se perpetuar e impor.
                Agora, temos um movimento sem poder central, sem governantes, sem regras estabelecidas por um administrador único. É o movimento que estabelece as regras, são os usuários que determinam o uso, por esse motivo grandes empresas estão enfrentado dificuldade de limitar, regulamentar, esse espaço. E são esses usuários, essas pessoas, que navegam e vivem uma grande parte do tempo conectadas, que estão criando a nova forma de pensar, novas regras de conduta, nas quais a palavra chave é compartilhar. Compartilhar conhecimento, cultura, informação e vida, é o lema da nova geração. Creio que seja possível mudar a forma de pensar no mundo, mas para isso se torna necessário a mudança de paradigma, propriedade x compartilhamento. Ao invés de projetos individuais e personalistas, projetos em grupo e compartilhados, esse é o novo tom da evolução. 
               Onde entra o Linux nessa história? Bem, o Linux é gratuito, pode ser distribuído para todos, pode ter seu sistema alterado e ser redistribuído, tudo sem ônus. A ideia por detrás do sistema é que todos usem e somente no uso profissional haverá inserção de valores, tais como adaptação do sistema, manutenção e suporte. Portanto, não existe nenhum sistema mais inclusivo, mais democrático, mais justo, que o Linux. Por todos esses motivos, eu uso, divulgo e defendo, de forma voraz, sua utilização.

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente, pergunte, tire dúvidas, esse espaço é seu.

Siga Por E-mail